A desgraça de Jaboatão tem sido grande parte do eleitorado apostar em políticos aventureiros

O último dia do ano, entrando e saindo do calendário com as mesmas cores dos que o antecederam, acaba carregando certa magia, a renovada esperança de que é possível que agora aconteçam coisas que, embora tão desejadas e possíveis, passaram à margem do tempo neste quase finado 2019. A despeito de qualquer ceticismo, a expectativa otimista invade as horas finais, que vão sobreviver desde as flores que chegam ao mar por Iemanjá até os ritos das celebrações cristãs. O novo ano haveria de se realizar plenamente, no campo das iniciativas políticas, ajudando o município de Jaboatão a reduzir os graves problemas e diferenças que separam os segmentos sociais; se não extingui-las, pelo menos minimizá-las, de forma a não se perpetuarem tão injustas. Fica o desejo de que assim também pensem os atores interessados, os eleitores para que em 2020 diga não aos políticos aproveitadores, desonestos e oportunistas. “A desgraça de Jaboatão é que grande parte do eleitorado aposta, acredita e confia em aventureiros, o resultado tem sido drástico para o município”.

Compartilhe em suas redes!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *