Coronavírus: Falta dignidade humana no sistema de saúde da rede municipal de Jaboatão

Já se tornou rotina a falta de dignidade na rede municipal da saúde de Jaboatão. O grande mal exemplo é a obra da Maternidade Rita Barradas em Sucupira que se arrasta desde 2010. Paralisada e sucateada, foram gastos mais de R$ 30 milhões, dinheiro público jogado pelo ralo. O maior fracasso no sistema de saúde do município veio agora com a pandemia do coronavírus. Município com mais de 800 mil habitantes, um orçamento fiscal anual de R$ 1,6 bilhão, das cidades grandes da Região Metropolitana do Recife (RMR), Jaboatão é mais atrasada, única que não concluiu sequer umhospital de campanha. A rede de saúde está paralisada, nada funciona e os casos de infectados e mortes aumentam a cada dia.

Compartilhe em suas redes!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *