Réveillon virou palanque eleitoral: Prefeito tenta esconder rejeição acima de 60%

A triste realidade de Jaboatão que o prefeito Ferreira não mostra nas propagandas de sua gestão nem ao poder público lá fora.  A falta de saneamento básico que adoece os moradores do município, a falta de uma maternidade municipal, a falta de infraestruturaviolência crescentemédicos e medicamentos nas unidades de saúdeescolas que tem aulas apenas dois dias na semana, trânsito caótico, limpeza urbana precária e a falta de prestígio político do município. Para os moradores do segundo município mais populoso de Pernambuco falta o mínimo: dignidade. Jaboatão dos Guararapes, figura, desde 2009, entre os dez piores em saneamento básico do País, de acordo com o ranking do Instituto Trata Brasil. Em 2015, ficou em quarto lugar. No ano seguinte, passou ao terceiro e, no último levantamento, em 2019, continua entre os 10 piores do Brasil. O problema, negligenciado por décadas, está longe de uma solução. A falta de saneamento castiga os moradores. Entre os principais males estão dengueleptospirose e diarreia. Quando chove, o povo tem que usar botas. Todo mundo tem medo da água, porque ela se mistura com os esgotos que escorrem pelas ruas e com o lixo espalhado. Neste dia 31 de dezembro de 2019 na festa de réveillon, o prefeito subiu no palco, deveria ter aproveitado para falar um pouco da triste realidade de Jaboatão, invés de usar a festa paga com dinheiro público para promoção política pessoal. “O prefeito usa festa para tentar esconder rejeição que ultrapassa os 60%“.

Compartilhe em suas redes!

1 comentário em “Réveillon virou palanque eleitoral: Prefeito tenta esconder rejeição acima de 60%”

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *