SEM RENOVAÇÃO POLÍTICA NÃO HÁ MUDANÇAS

Nos últimos tempos, a aversão à classe política é um fenômeno mundial. Em todo o mundo, eleições têm sido ganhas por candidatos que até recentemente não eram políticos e partidos recém-criados, como Donald Trump, nos EUA, Macron e seu Em Marcha!, na França, e o Movimento Cinco Estrelas, na Itália. No Brasil, com a maior crise econômica da História e infindáveis escândalos de corrupção, a confiança nos políticos é a mais baixa entre  137 países. Tudo isso sugeriria que a renovação nas próximas eleições a presidente, governadores, senadores e deputados deveria ser grande. Aparentemente, deve acontecer exatamente o contrário. Nas disputas nos estados, o quadro não é diferente. Dezesseis governadores concorrerão á reeleição, o maior número desde 2006. Ainda assim, talvez o mais impressionante seja a falta de renovação. A conclusão óbvia é que o esforço da classe política em se perpetuar no poder tem tudo para ser bem sucedido. São apenas 45 dias de campanha, pouco tempo para os novos candidatos ficarem conhecidos. Por: Adelson Veras.

Compartilhe em suas redes!
  • 4
    Shares

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *