Vírus rico e vírus pobre: E quando o coronavírus chegar aos pobres, como será?

Nada iguala mais as pessoas do que doenças, mortes, epidemias, tudo aquilo que nos faz lembrar da fragilidade de nossa condição humana. Ricos, pobres, mulheres, homens, velhos ou novos, todos podemos ser alcançados pelo coronavírus. Mas o limite da suposta igualdade acaba no vírus. Uma vez infectados, voltamos a encarar a iniquidade, que começa no atendimento a cada um. Até agora, no Brasil, a pandemia parece estar dando preferência aos mais privilegiados, aqueles que viajaram ao exterior e retornaram infectados. E quando chegar aos pobres? A perversidade maior do coronavírus, em sua versão brasileira, pode ser esta: em alguns dias, os doentes passarão maciçamente da excelência do Albert Einstein e outros dos melhores hospitais do país para a rede do SUS. A contaminação importada dos mais ricos passará à modalidade comunitária, na qual o vírus estará em todos os lugares , atingindo usuários do transporte público, trabalhadores, gente que não viajou.

Compartilhe em suas redes!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *