Vulnerabilidade: Nas favelas e periferias, a pobreza extrema vigia a chegada do coronavírus

Nas favelas e periferias, a pobreza extrema vigia a chegada do coronavírus sem direito a isolamento social. É urgente o dinheiro do governo federal chegar ao bolso de quem precisa matar a fome, e é para hoje. Sem poder esperar a periferia precisa se organizar por conta própria para reduzir o impacto do vírus em suas comunidades. A Câmara Federal aprovou uma ajuda de R$ 600 reais para os trabalhadores informais, mas isso não é tudo, programas sociais precisam ser elaborados por municípios para amenizar os efeitos casados pelo coronavírus. O país sempre foi desigual, nesse momento uma parte está de quarentena, enquanto os menos favorecidos continuam se autocontaminando, porque precisam sobreviver. Infelizmente a classe empresarial só se manifesta quando acontece um caso desse. 

Compartilhe em suas redes!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *